Como organizar a correspondência e documentos importantes

Para controlar a arrumação da casa não basta destralhar e organizar a casa, é necessário manter essa organização.

Falámos aqui sobre cancelar revistas para criar uma barreira de entrada do papel em nossas casas mas há correspondência que não é possível ignorar: contas da casa, correspondência do banco, etc.

[daqui]

Depois de ter cancelado as subscrições das revistas que recebia, percebi que o próximo passo seria organizar a correspondência e papelada importante. Existem tarefas que não podem esperar, que feitas uma vez por semana ou apenas uma vez por mês podem causar algumas dores de cabeça e umas horas de muita paciência. Acumular correspondência é um dos maiores erros na organização de uma casa!


Como organizei a minha correspondência?

Muito fácil! Escolhi um dossier e criei os separadores:
  • Banco, 
  • Saúde, 
  • Documentos Pessoais, 
  • Recibos de Reparação e Garantias, 
  • Faculdade, 
  • CV e Certificados de Formação. 

Se estiverem organizados por ordem alfabética, ainda melhor!

Dentro de cada separador poderão ainda ser criadas subcategorias. Por exemplo, em Banco, pode-se criar um separador por cada banco onde se tem conta. 
Para quem trata do IRS, deverá ter ainda outro separador para guardar os recibos, organizados por mês do ano corrente e um dossier à parte para os documentos dos anos anteriores.

[daqui]

O dossier com separadores tem sido uma óptima ajuda para organizar os meus documentos importantes. Para além disso, sempre que preciso consultar um deles, sei imediatamente onde se encontra!

Depois do dossier criado, adoptei outro hábito: Sempre que vou à caixa do correio e tenho correspondência para mim, entro em casa e não pouso as cartas. Levo-as directamente para a divisão onde tenho o dossier. Abro todas, furo-as e coloco os envelopes na reciclagem. Depois só falta ler e arquivar, coisa que faço logo a seguir!

Desta forma, nunca mais voltei a ter um monte de cartas para abrir nem documentos espalhados e/ou perdidos pela casa. 

Fácil, não?

Revistas: Valerá a pena cancelar a subscrição?

Para controlar a arrumação da casa não basta destralhar e organizar a casa, é necessário manter essa organização. À medida que vou destralhando o quarto, uma das maiores dificuldades que tenho sentido é a de controlar a quantidade de papel...

Por vezes, até parece que ele se multiplica enquanto estou a dormir!

Já apliquei algumas dicas que fui lendo e uma delas foi fundamental para filtrar parte do papel que chega por correspondência: Cancelei todas as revistas que subscrevia. 
Para além de receber muito menos papel, poupo algum dinheiro! Afinal, não lia todos os artigos das revistas, nem tinha tempo para tal e, para além disso, nem todas são assim tão interessantes. 


[daqui]


Antigamente, se uma revista trazia brinde eu comprava mesmo que não fosse nada que precisasse no momento (tinha uma coleçcão de malas à custa das revistas...). Agora é diferente! Depois de ter destralhado tantas pilhas de revistas, acho que ganhei alguma aversão ao papel...

Agora só compro uma revista muito pontualmente. Desde que deitei todas as minhas colecções de revistas na reciclagem, só comprei duas e arrependi-me acerca de uma delas...
 
Para comprar revista com brinde, o brinde tem de ser realmente útil como, por exemplo, um chapéu de chuva. Antes de comprar a revista, folheio-a para ter a certeza que tem temas que me interessam. Algumas papelarias não deixam fazer isso. Resultado? Perdem uma cliente. Ninguém me vai obrigar a comprar uma revista que promete temas interessantes segundo os títulos da capa e depois... espremendo bem, não tem nada de novo! 


No entanto, quando existe uma revista de boa qualidade, com assuntos interessantes, talvez queiramos continuar a comprá-la. Nesse caso, encontrei algumas ideias que ajudam a poupar dinheiro quando se compram revistas:

  • Quando a revista é temática e essa informação não se encontra com tanto detalhe ou qualidade na internet, fica mais barato subscrever a revista durante 6 meses ou 1 ano do que comprá-la no quiosque todas as semanas ou meses. Se o interesse for pontual, então deve-se evitar a subscrição e comprá-la apenas quando tem um assunto que achamos mesmo muito interessante

  • Quando temos amigos ou familiares que leem as mesmas revistas, pode-se criar um sistema de troca de revistas ou de partilha dos custos de subscrição.

  • Por vezes, existe a possibilidade de subscrever a revista no formato online. Para além de ficar mais barato, principalmente quando é internacional, poupa-se imenso papel.

Reciclagem de caixas de cds e imagens inspiradoras!

Hoje acordei com uma valente dor de cabeça e fiquei por casa. Enquanto folheava uma revista da Taschen, reparei como algumas imagens eram bastante interessantes e inspiradoras e lembrei-me de um projecto para reciclar caixas de cd que já partilhei aqui.

Meti mãos à obra e entusiasmei-me um pouco, que eu adoro trabalhos manuais e reciclagem! Fiz 12 reaproveitamentos e tirei umas fotos para vos mostrar o resultado final. 







Que acham??

Talvez seja uma boa ideia para oferecer a fãs de actores, cantores, ou de outros temas. Depois também me lembrei que seria giro fazer de desenhos animados e colocar em quartos de criança!


20 questões a colocar sobre o impacto da tralha nas nossas vidas

Como sabem, tenho dedicado algum tempo a destralhar o meu quarto! E, lembrei-me de uma coisa... Eu, apesar de ter tido sempre o meu quarto desarrumado, tinha consciência da confusão instalada mas... e as pessoas que não têm??

Apesar de ver pouca televisão e ter apenas quatro canais, sei que existem programas que se dedicam a ajudar as pessoas que têm uma tendência obsessiva para acumular coisas (na América são conhecidos como "hoarders" ou "packrats"). Já vi alguns episódios desses programas, através do Youtube, e as imagens são realmente chocantes e assustadoras!
A desarrumação que se vê nessas casas é tão grande que a saúde da família que a habita, física e emocionalmente, é posta em risco!

[daqui]
[Aquanasium]

Mas como saber em que lado da linha nos encontramos? Se temos apenas a casa desarrumada ou se já se trata de uma desordem obsessiva-compulsiva?

Geralmente, a pessoa que tem um problema sério não tem consciência da sua verdadeira dimensão. As 20 questões seguintes poderão ajudar a perceber se deve procurar ajuda ou se a resolução do problema passa apenas por uma limpeza e organização profunda da casa. 

Aqui vão:

1 - Sente-se envergonhado para convidar a família ou amigos para sua casa porque não está apresentável?
2 - Sente que é mais fácil atirar ou empurrar um artigo para dentro de uma gaveta ou de um armário do que encontrar um espaço para ele?
3 - Alguma das divisões da casa perdeu a sua função original devido à quantidade de tralha que nela foi acumulada? Existe uma cama onde não seja possível dormir? Uma garagem onde não haja espaço para estacionar o carro ou uma mesa de jantar com pilhas de papel?
4 - A desarrumação tem causado problemas nas suas relações familiares ou entre os seus colegas de trabalho?
5 - Tem dificuldade em falar deste problema por sentir vergonha ou culpa?
6 - Arrenda algum espaço para guardar tralha que raramente utiliza?
7 - Costuma evitar projectos ou atrasar-se com a entrega de trabalhos porque não encontra o seu material?
8 - Tem dificuldades em tomar decisões sobre o destino a dar às suas coisas?
9 - Compra coisas para a casa sem ter um destino específico para elas?
10 - Acredita que terá sempre tempo para limpar a casa, terminar todos os seus projectos e ler as pilhas de revistas e jornais que guardou?
11 - Costuma saltar de projecto em projecto sem concluir nenhum?
12 - Ajuda os outros de forma constante enquanto a sua casa continua completamente desorganizada?
13 - Costuma comprar objectos que sabe que possui mas que não encontra?
14 - Cria uma ligação emocional forte aos objectos que dificulta o seu desapego?
15 - A desarrumação em que a sua casa se encontra prejudica os seus tempos livres?
16 - Tenta evitar, distrair-se ou procrastinar para não lidar com a desarrumação?
17 - A limpeza, organização e manutenção da casa tornaram-se tarefas demasiado difíceis devido à quantidade de tralha que acumulou?
18 - A tralha que acumulou representa um risco real de doenças respiratórias, quedas ou fogo?
19 - A acumulação de tralha tem aumentado ao longo do tempo?
20 – A quantidade de coisas que tem é muito maior do que aquela com que consegue lidar?

Descobri ainda, durante a minha pesquisa, o blogue If I Were a Hoarder (Se eu fosse uma hoarder) escrito por Zoltana, filha de um hoarder e neta de uma hoarder, que debruça-se sobre este tema. Visitem, vale a pena!

[Mazzolaa]


E penso que todos nós já conheceram uma pessoa assim. Eu já! Em vez de acumularem tralha, acumulam gatos... Acho louvável recolher animais da rua ou adoptar animais abandonados mas, como tudo, há um limite!

[daqui]

Desembaraçante capilar Yves Rocher - Giveaway


Lembram-se de, há uns tempos, vos ter mostrado um produto que tinha cá por casa e que ia oferecer a quem o quisesse? Na altura recebi vários e-mails e comentários mas depois ninguém chegou a dar-me a morada por isso ainda o tenho cá por casa.

Decidi voltar a perguntar aqui se alguém está interessada no Desembaraçante capilar da Yves Rocher. Portanto, durante esta semana, vou ficar aqui com o produto em stand-by para oferecer a uma de vocês e peço que só enviem e-mail caso estejam realmente interessadas!

Irá para quem o pedir em 1º lugar. Por isso, já sabem, não se esqueçam de enviar a vossa morada por e-mail e não a deixem aqui em comentário!

Sumário da Semana - mais comprinhas para a casa no Ikea

Olá! Como vos correu a semana??
 
A minha foi bastante produtiva! Desde que comecei a aplicar a Técnica Pomodoro, tenho conseguido aproveitar melhor o tempo.
Reservei as manhãs para um projecto que depois partilharei convosco, fui a todas as aulas, aproveitei o tempo dos furos para estudar, esvaziei mais dois caixotes de tralha, fiz mais umas vendas de livros e roupa que já não utilizo e comprei os sofás para a sala.

É tão bom chegar ao fim-de-semana com a sensação de dever cumprido!

Quantos aos sofás escolhi um de dois lugares e outro de três. São ambos da linha Ektorp e as capas são da linha Svanby na cor bege claro.


Nesta próxima semana começo a montar os móveis e quero ver se tiro umas fotos para vos mostrar a evolução da casa :)

E também já comecei a comprar alguma roupa de cama e o serviço de utilização diária. Encontrei, no Ikea, um serviço lindo, de faiança branca, de 18 peças, made in Portugal!



Gerir o Tempo com a Técnica Pomodoro

Na semana passada experimentei uma nova abordagem para tornar o estudo e a pesquisa e escrita para o blogue mais produtivos. A técnica chama-se Pomodoro (tomate em italiano), conhecia-a através do blogue da Rita, experimentei-a e como gostei imenso dos resultados, venho cá partilhá-la convosco!

A ideia da Técnica Pomodoro é fazer pequenos intervalos ao longo de um dia de trabalho. Muitas vezes, distraímo-nos porque ou um colega faz um comentário que resulta numa grande conversa, ou porque descobrimos imensas coisas interessantes na internet e quando damos por nós já não estamos a fazer apenas a pesquisa que pretendíamos, ou porque o telefone tocou... and so on.

[daqui]

Muitas vezes, pelo final do dia, sentia que não tinha aproveitado bem o tempo e que o dia podia ter sido muito mais produtivo. Sentia que o tempo tinha voado...
Na técnica Pomodoro, por cada 25 minutos de trabalho, faz-se uma pausa de 5 minutos. Durante os 25 minutos de trabalho fazemos apenas isso: trabalhar, sem interrupções, sem nada que nos distraia. Os 5 minutos de pausa servem para descansar e para fazer o que nos apetecer, seja falar com colegas, ir tomar café ou outra coisa qualquer.
Ninguém consegue estar uma manhã inteira ou uma tarde inteira a trabalhar non stop! 

Para controlar os intervalos de tempo de trabalho e de pausa, a Rita aconselhou o Flowkeeper, um software de download gratuito, de utilização simples,  no qual o utilizador define as tarefas do dia e quantos pomodoros necessita para cada uma. Uma das vantagens deste software tem a ver com a possibilidade de se registar possíveis interrupções que surjam durante o intervalo dedicado ao trabalho, sendo mais fácil perceber (e depois evitar) as razões de distracção. O Flowkeeper também permite ao utilizador definir os tempos de trabalho e de intervalo caso os 25+5 minutos não se adequem. Por enquanto, vou continuar com os blocos de 30 minutos porque permitem-me estar sempre concentrada no estudo. Desde que comecei a fazer pausas de 5 minutos a cada 25 minutos, é raro precisar de voltar atrás e reler para perceber alguma coisa!

Podem encontrar aqui um tutorial muito simples que a Rita fez sobre o funcionamento do software Flowkeeper. Aconselho-o vivamente!


Leituras de Domingo #4

Todos os Domingos, partilho convosco as leituras que fui encontrando durante a semana e que achei mesmo muito interessantes. As desta semana são:

  • Por razões óbvias, recomendo a leitura de Como Planear uma Grande Ida ao Ikea. Não subestimem o esforço implicado num dia de grandes compras, a água, umas barras de cereais e um calçado muito confortável são indispensáveis!
  • Há uns dias encontrei uma loja de decoração linda em Campo de Ourique, a Homes in Heaven. Fiquem com imagens inspiradoras aqui.
  • E, por falar em mobília e decoração, em Less is More: 15 Pieces of Furniture You May Not Really Need descobri que o estilo minimalista não é para mim! 
 E...
  • Na passada sexta-feira, dia 16 de Novembro, Saramago cumpriria 90 anos de vida. Sendo um dos meus escritores preferidos, recomendo a visita ao site da Fundação José Saramago, onde podem encontrar imensas coisas interessantes!

[daqui]

Decoração de Sala #1

Ontem fui até ao Ikea após jantar. Percebi que é um horário óptimo para fazer as compras sem grandes stresses, apesar de se aproximar o Natal a loja estava, praticamente, vazia!

Na loja, depois de ver as duas gamas, decidi-me pela Gama Hemnes, na cor branca, para decorar o quarto. Pensei começar a fazer compras nessa visita mas depois, quando falei com um dos funcionários da loja, fiquei a saber que os custos de transporte variam com o preço do mobiliário e decidi voltar a casa, pensar na decoração que queria ter na sala para ver se me compensa, ou não, fazer as compras por partes.

Voltei a pesquisar no site do loja e para a sala gostei imenso da Gama Liatorp do Ikea:




Procurei também imagens de sala com decorações que me agradassem e ainda encontrei algumas!
















Conhecem a gama Liatorp? Têm alguma mobília desta gama em vossas casas?

Decoração de Quarto #1


Voltei!
E o que andei eu a fazer nestes últimos dias, perguntam vocês...

Tenho estado a preparar-me para o grande passo antes da minha mudança: mobilar a casa.
Vou começar as compras da mobília e para tornar as coisas um pouco mais fáceis, que isto de mobilar uma casa assusta um pouco, decidi fazer as coisas por partes. 

Vou começar pelo quarto porque já tenho uma ideia praticamente formada da decoração que pretendo ter nessa divisão. Já vos tinha mostrado algumas imagens de quartos que encontrei aqui e depois de pesquisar no site do Ikea encontrei duas gamas de mobiliário de quarto que adorei: a Aspelund e a Hemnes, respectivamente:
 

[daqui]



[daqui]


Fiz outra pesquisa baseada nestas duas gamas e descobri mais quartos que acho um mimo:












Vou começar por comprar a cama, duas mesas de cabeceira e uma cómoda. Não quero o quarto demasiado cheio, nem demasiado vazio. O minimalismo aplicado à decoração não é para mim, sinto que as divisões ficam um pouco despidas. Por isso, depois de montar a mobília no quarto, vejo se preciso de mais algum móvel... O quarto ainda é grande se o comparar com quartos que vi nos apartamentos de prédios construídos mais recentemente.


E vocês, que mobília têm nos vossos quartos?

Leituras de Domingo #3

Todos os Domingos, partilho convosco as leituras que fui encontrando durante a semana e que achei mesmo muito interessantes. As desta semana são:


  • Verifica nesta Lista das Coisas que Você pode Jogar Fora tudo o que ainda está por destralhar!
  • Farta de pilhas e pilhas de papel? Encontra 14 dicas para destralhar em Dando um fim na papelada.
  • Na etapa Armazenar do Método SCA, falou-se da questão de arranjar espaços próprios para organizar cada categoria de objectos e limitar essa quantidade de objectos. A Rita adoptou esse mesmo método e explica tudo em Os Minimalistas Estabelecem Limites.
  • No Youtube, encontrei um vídeo com Peter Walsh, um especialista em organização, onde explica e mostra algumas técnicas que podemos utilizar para destralhar a nossa casa e local de trabalho!



Método SCA - Armazenar

Depois de Simplificar e Categorizar, chegamos à terceira e última etapa do Método SCA, Armazenar:

Simplificar - Separar as coisas que queremos guardar das coisas que têm de ir fora.

Categorizar - Agrupar as coisas por categoria.

Armazenar - Arrumar as coisas de forma organizada.


Esta última etapa, Armazenar, consiste em arrumar todas as coisas, que já se encontram agrupadas por categoria, num local próprio.

Na etapa anterior, para além de todas as coisas já terem sido agrupadas por categoria, também os locais para cada categoria já foram definidos. Mas, ao contrário do que possa parecer, este último passo do Método SCA não consiste apenas em colocar as coisas nos seus locais pré-definidos! 

Existem algumas questões que têm de ser trabalhadas nesta etapa:

Espaço para Armazenar:
Por vezes, a desarrumação deve-se à falta de espaços adequados para arrumar cada coisa. Por exemplo, vários livros empilhados numa cadeira indicam, provavelmente, a falta de prateleiras dedicadas apenas a livros. Mas antes de se comprar mobiliário, é muito importante verificar se o problema real não será a quantidade, por exemplo, de livros.

Armazenar de forma visível:
Quando os objectos são arrumados numa caixa, que ficará dentro de um armário, essa caixa deverá ser transparente, para evitar abrir todas as caixas para descobrir aquilo que se procura!

Etiquetar:
Da mesma forma que se etiquetaram as prateleiras e móveis para construir o inventário na etapa Categorizar, pode-se utilizar um esquema semelhante nas caixas de arrumação mas, desta vez, para indicar o que cada uma contém. 
Por exemplo, conheço pessoas que têm uma imagem de cada par de sapatos colado na caixa onde se encontram para evitar ter de abrir todas as caixas para encontrar um par específico.

Guardar num local “à mão”:
Por último, quando se definem os locais de arrumação para cada categoria de objectos é muito importante que cada categoria fique próxima do local onde os objectos correspondentes são utilizados. 
Por exemplo, junto à mesa de trabalho deverão estar os objectos que são mais utilizados aí como, por exemplo, caneta, lapiseira, borracha, papel, agenda, etc.
Uma forma fácil de determinar quais são os objectos mais importantes, por exemplo, junto à mesa de trabalho é esvaziar as gavetas ou prateleiras que se encontram próximas e a própria mesa de trabalho. Durante uma ou duas semanas, tudo aquilo que for sendo utilizado coloca-se de volta nesses locais de arrumação, tudo o resto pode ser arrumado noutro local.


Espero que tenham gostado desta série de três posts sobre o Método SCA e que este vos ajude nas vossas arrumações!

Método SCA - Categorizar

Neste mês de Novembro, comecei a pôr em prática o Método SCA que descobri no livro Winning the Clutter War de Sandra Felton.

Já falei aqui da 1ª etapa do Método SCA e segue-se, agora, a etapa dedicada a Categorizar:

Simplificar - Separar as coisas que queremos guardar das coisas que têm de ir fora.

Categorizar - Agrupar as coisas por categoria.

Armazenar - Como o próprio nome indica, falta apenas arrumar as coisas de forma organizada.


O 2º passo do Método SCA, Categorizar, consiste em separar, por categoria, todas coisas que decidimos guardar.

Para quem sente mais dificuldade em separar as coisas por categoria, talvez seja bom começar por definir essas categorias e só depois colocar mãos à obra. No livro, Sandra Felton sugere algumas categorias como, por exemplo, Fotografia, Música, Artes Manuais, Culinária, Correspondência e Reparação. Agora falta apenas definir um lugar para cada categoria e arrumar os objectos nos sítios correspondentes.

Um dos maiores receios que tive, relativamente à arrumação, foi a possibilidade de deixar de saber onde estão as minhas coisas. Eu sou uma daquelas pessoas que empilha tudo, sejam livros, roupa ou papéis! Pode parecer que tenho sempre tudo desarrumado mas, regra geral, sei onde está cada coisa porque, de alguma forma, memorizo a ordem pela qual as coloquei em cada pilha. O facto de ter de pôr, todas as minhas coisas, dentro de armários fazia-me alguma confusão. Como é que eu ia encontrar aquilo que precisava se deixava de estar à vista? Parece de doidos, certo? Mas afinal não é! Descobri que é um medo geral entre as pessoas mais desarrumadas e que, para isso, também há solução!

O truque é criar uma espécie de inventário. As prateleiras, gavetas e outros locais de arrumação são numerados e cria-se uma lista com a categoria que corresponde a cada local. No meu inventário, decidi complementar a informação com um esboço dos armários que tenho, junto a uma das paredes do quarto.




A numeração foi feita no interior de cada armário, com pequenas etiquetas, da seguinte forma:



Talvez seja exagero criar este sistema quando tudo o que tenho se encontra no meu quarto mas vai ser um bom método de arrumação para a minha futura casa onde terei, pela primeira vez, à minha disposição umas seis divisões e vários armários embutidos nos corredores.


E vocês, que acham disto? Será que existe uma linha que separa a arrumação da obsessão pela arrumação?
No livro referem que os desarrumados têm medo de passar para o outro extremo e também eu sinto isso!