Em Busca de Paz

Talvez seja muito cedo para dizer que aprendi alguma coisa com a EM (esclerose múltipla) mas o susto associado ao primeiro surto foi tão grande que houve mudanças imediatas no meu dia-a-dia, umas conscientes, outras foram apenas acontecendo.

A única pessoa que conheci com EM foi a minha avó paterna. Pouco (ou talvez nada...) se sabia então sobre a doença (penso que não recebeu sequer qualquer "tratamento") e as imagens com que fiquei desta doença eram bastante más. Não sabia o que esperar. Sabia em que consistia a doença porque tinha bastantes noções de como os neurónios funcionam (Fisiologia foi uma das minhas cadeiras preferidas na licenciatura em Bioquímica) mas não sabia quão progressiva era a doença. Não sabia se ia ficar numa cadeira de rodas ou de cama em pouco tempo... Mas também não conseguia ficar na ignorância. 

Ainda não tinha sido feito o diagnóstico, havia apenas uma certeza interior minha, quando fui a uma livraria procurar por livros sobre EM. Não encontrei nada, apenas um de Bernardo Pinto Coelho, que sofre de esclerose lateral amiotrófica (ELA). Li-o num ápice e, apesar da doença que o Bernardo tem, sentia-me preenchida ao ler o seu testemunho. O Bernardo parece ser alguém muito optimista, cheio de vida e amor para dar... Parecia que aquelas palavras tinham sido escritas para me reconfortar. E, aos poucos, fui procurando apenas isso... essa paz.

Eu sempre fui um pouco inconsequente, sem filtro, muito espontânea mas, com esta experiência e sem reparar, construí um muro à minha volta e só deixo entrar aquilo que eu quero conscientemente. Comecei a dar valor à minha vida, à minha saúde, de uma forma que nunca tinha sentido antes. Agora sinto que me protejo, tento cercar-me de amor, de pessoas e experiências positivas. Oiço o meu corpo e respeito-me. Às vezes são coisas muito simples... Vou dar-vos um exemplo: Quando ingressei na Faculdade de Farmácia obtive algumas equivalências do 1º ao 4º ano, o que faz com que tenha aulas de vários anos. Os alunos do 1ºano são sempre barulhentos, vão a todas as aulas apesar de não haver faltas, conversar sobre tudo excepto o que se passa na aula (estou no meu 3º curso e a história repete-se...) e eu estou numa fase diferente da vida. Agora quero sentar-me à frente, quero entender a matéria, quero ouvir o professor e sinto-me grata por ter essa oportunidade. Durante este semestre, já aconteceu, por duas vezes, ter um grupo falador ao meu lado, esforço-me para ouvir o professor mas eles conseguem sobrepor a voz. Antes ficava frustrada mas aguentava a manhã ou a tarde assim. Agora, pego nas minhas coisas, levanto-me e mudo-me para um lugar que aparenta ser calmo. Agora, em vez de uma manhã frustrada, protejo-me daquilo que me chateia e fico em paz com a minha decisão.

Sempre que tenho opção, elimino o stress que outras pessoas ou situações me provocam.

BE Unique


E o que mudou no meu dia-a-dia?
  • Oiço mais música
  • Leio livros que têm a esperança, a força e o amor como mensagem principal (reli o Diário de Anne Frank - é impressionante como, no meio da tragédia, existem pessoas que transcendem o que lhes acontece)
  • Converso diariamente com amigos e familiares - que me têm apoiado imenso, além do meu companheiro, claro!
  • Tento distrair-me com jogos de tabuleiro ou de consola
  • Faço caminhadas com os meus cães. Infelizmente muito curtas porque canso-me muito facilmente, um quarteirão parece uma maratona!
  • Vejo menos televisão à noite e deito-me mais cedo.
  • Tenho uma alimentação mais saudável e tomo, diariamente, óleo de fígado de bacalhau (o meu nível de vitamina D era baixíssimo, característico da EM..)
  • Apanho sol sempre que é possível.
  • Vivo o presente e não faço grandes planos para o futuro - já não dou por certo estar cá amanhã...

 Já viveste alguma experiência que tenha provocado uma viragem de 180º? Que te tenha feito dar mais valor ao momento presente?

5 comentários:

  1. Mulher de armas, adoro ler cada palavra :) fico muito feliz que estejas bem !
    Também estamos a viver uma situação grave cá em casa ( com o marido) e tenho esperança e muita fé de que as coisas vão correr bem!
    Estamos na fase de aceitar para avançar e lutar , mas acredito que vai correr tudo bem... como contigo :)
    Um beijinho grande e bom feriado

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Celine pelas tuas palavras :)
      Desejo que tudo corra bem com o teu marido e contigo também (que quem apoia também se cansa e também sofre!).
      Espero que consigas encontrar algumas palavras de reconforto aqui :)
      Beijinho grande e muita força!!!

      Eliminar
  2. "Em busca da cura" é o livro de Laura Pires sobre a cura da EM. Um livro fantástico que poderá te ajudar muito. Mt saúde. Bj . Carol

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Carol pela partilha, irei pesquisar o livro! :)

      Eliminar

São os comentários que tornam o blogue num sítio especial. Partilha aqui a tua opinião. Obrigada!